Arquivo do Autor

Gente fina

03/03/2010

Vou postar um texto que recebi por e-mail.

Não conheço o autor, mas está assinado por Martha Medeiros.

Achei legal compartilhar com vocês!

Cada um faz o que bem entender com o próprio corpo. Comer com liberdade é um direito e ninguém tem que se sacrificar para atender a um padrão estético, mas que ser magro é melhor do que ser gordo, é.

Pra saúde é melhor, pra se vestir é melhor, pra se locomover é melhor, pra dançar é melhor. Não quer dizer que um gordo não seja feliz. Geralmente, são felizes à beça, mais do que muito varapau.

Mas se fosse possível escolher entre ser magro e ser gordo sem nenhum efeito colateral de felicidade ou infelicidade, sem nenhum esforço, só no abracadabra, todo mundo iria querer ser magro, assim como todo mundo preferiria se cristalizar entre os 30 e os 50 anos. Eu acho. A não ser que eu esteja louca, o que é uma hipótese a considerar.

Porém, melhor que tudo é ser gente fina. Finíssima. Isso nada tem a ver com a tendência atual de ser seca, de parecer um esqueleto ambulante. Gente fina é outra coisa.

Gente fina é aquela que é tão especial que a gente nem percebe se é gorda, magra, velha, moça, loira, morena, alta ou baixa. Ela é gente fina, ou seja, está acima de qualquer classificação. Todos a querem por perto. Tem um astral leve, mas sabe aprofundar as questões quando necessário. É simpática, mas não bobalhona. É uma pessoa direita, mas não escravizada pelos certos e errados: sabe transgredir sem agredir.

Gente fina é aquela que é generosa, mas não banana. Te ajuda, mas permite que você cresça sozinho. Gente fina diz mais sim do que não, e faz isso naturalmente, não é para agradar. Gente fina se sente confortável em qualquer ambiente: num boteco de beira de estrada e num castelo no interior da Escócia.

Gente fina não julga ninguém ? tem opinião, apenas. Um novo começo de era, com gente fina, elegante e sincera. O que mais se pode querer? Gente fina não esnoba, não humilha, não trapaceia, não compete e, como o próprio nome diz, não engrossa. Não veio ao mundo pra colocar areia no projeto dos outros. Ela não pesa, mesmo sendo gorda, e não é leviana, mesmo sendo magra. Gente fina é que tinha que virar tendência. Porque, colocando na balança, é quem faz a diferença.”

Martha Medeiros

Anúncios

Boa sobremesa

18/01/2010

Dessa vez o post é mais curto, mas muito útil para os amantes de sorvete como eu!!

Nesse fim de semana fui com a Andréa (a outra Alves) na sorveteria Ioguland em Moema (São Paulo) e recomendo a visita!!

A sorveteria vende os famosos frozen iogurt que podem ser encontados em outros restaurantes de São Paulo. Neste caso, a novidade é o sabor LICHIA e os vários “tops” (coberturas).

Vale mesmo a pena provar, principalmente nesses dias de extremo calor que tem feito em São Paulo!

A Ioguland de Moema fica na esquina da Arapanés com a Rouxinol.

Comandos manuais ativados.

04/01/2010

Mais um ano começa e por mais que a gente saiba que a vida é a mesma, é quase impossível não fazer um balanço do ano que passou e planejar o que está começando.

Foi fazendo esse balanço que percebi que 2009 foi um ano onde aprendi muitas coisas importantes, fiz novas amizades e cresci bastante como pessoa, mas destaco um aprendizado em especial. O de nunca se acomodar.

Comentei acima, que cresci como pessoa e foi justamente por conta disso que consegui entender a importância de não se acomodar nunca.

Meu crescimento me fez aprender a observar mais aos que me rodeiam e entender, nem que seja um pouco, como essas pessoas alcançam seus objetivos (ou deixam de alcançá-los).

Claro que não vou citar cada exemplo que me fez entender e aprender essa lição, pois teria que descrever momentos de vida de outras pessoas e isso não seria nada “ético”, mas vou tentar descrever melhor o que quero dizer com tudo isso.

Muitos automaticamente pensam no lado profissional quando se fala em acomodação, objetivos, metas, etc., mas a idéia que quero passar vai muito além disso. Falo do dia a dia, do tratar com as pessoas, do lidar consigo mesmo.

O ser humano de modo geral (me incluo nessa) tem a forte tendência de se encostar na zona de conforto. Prefere ligar o piloto automático do que manter a atenção na direção, e é justamente aí que acaba deixando passar muitas oportunidades ou até mesmo perde as que já estão em suas mãos. Por isso preste muita atenção no modo que você conduz a sua vida e evite o piloto automático.

Busque o equilíbrio sempre. Sua vida não é só feita de trabalho ou de diversão. Só de família ou amigos.

Procure ousar. Preste atenção nas pessoas e em suas necessidades e às surpreenda. Faça uma visita surpresa. Faça qualquer coisa, mas surpreenda.

Busque o erro!! Isso mesmo! BUSQUE O ERRO! Que eu, você, todos vamos errar estamos certos, então vá atrás do erro. Dessa forma você estará preparado para corrigí-lo de forma mais rápida e inteligente.

Corra atrás do crescimento. Procure crescer como pessoa, como profissional, como amigo, como namorado, como marido, como esposa, como mãe, como filho…

Não sou um guru de auto ajuda, mas foi tem sido dessa maneira que tenho procurado manter o curso da minha vida, sempre em minhas mãos. Ninguém melhor para controlar o rumo da sua vida do que você mesmo!

Para finalizar, deixo a definição de automático:

au.to.má.ti.co

adj. 1. Que se move ou funciona por si mesmo. 2. Que se realiza por meios mecânicos. 3. Que se realiza sem o concurso da vontade; inconsciente. 4. Tecn. Diz-se do aparelho que funciona por si, dispensando operadores.

Pense nisso. Você quer mesmo continuar no piloto automático em 2010?

Tem solução?

09/11/2009

20021120-gentileza

Sejam bem vindos ao nosso BLOG. Saibam que é um prazer recebê-los aqui.

Ontem assisti no Fantástico uma matéria sobre GENTILEZA, e já estou me condicionando a ter esse hábito.

Para quem não viu, falava sobre a pesquisa de uma Universidade americana comprovando que ser educado e gentil faz com que o ser humano se sinta melhor e com uma sensação de paz.

Segundo o site do Fantástico, outra pesquisa realizada  pela Universidade de Brasilia em 35 grandes cidades do mundo foi constatado que São Paulo está em 4.o lugar no ranking de cordialidade.

Vendo esses números e fatos me pergunto: Se ser gentil faz com que as pessoas se sintam melhores e São Paulo ocupa o 4.o lugar no ranking da Universidade de Brasilia, onde estão os paulistanos gentis?

Semana passada postei aqui sobre o problema nos trens.

Vejo diariamente a falta de educação, cordialidade e gentileza entre pessoas que trabalham na mesma empresa. Eu mesmo já cansei de tentar dar bom dia para “colegas” de trabalho e receber como resposta o silêncio.

Vemos muitas vezes a falta de educação dos vizinhos que não respeitam as regras nos condomínios, entre outros exemplos que poderia citar aqui.

Não vou me extender nesse post, mas queria saber dos amigos que acompanham esse blog, o que acham desse tema e da pesquisa feita pela Universidade de Brasilia. 

Tenho uma leve impressão que há alguma coisa errada. Com as pequisas ou com as pessoas que conheço, convivo ou divido espaços públicos.

Até mais e voltem sempre! ;-)

O trem só anda atrasado

02/11/2009

Aqueles que acharam que eu tinha desistido de postar aqui  se enganaram. Eu voltei!! :-D

Antes de mais nada peço desculpas aos seguidores pela minha ausência. Meus horários mudaram um pouco e tive dificuldades em me adaptar.

Trem

Nesse período sumido, outras coisas além dos meus horários também mudaram. Uma delas é que agora definitivamente sou usuário da CPTM e do Metrô, e é sobre algo que ouvi dentro de um trem da CPTM que resolvi escrever aqui hoje.

Meu itinerário é bem trash. Embarco na estação Santo Amaro, faço baldeação em Presidente Altino e na Barra Funda pego o Metrô para casa.

Semana passada ao entrar no trem em Presidente Altino, percebi que as portas do trem demoraram para fechar e então ouvi o aviso do “maquinista”: “Não segurem as portas. Isso atrasa todos os trens”.

Do meu lado, havia um senhor com semblante cansado mas ao mesmo tempo tranquilo que logo respondeu: “O trem só anda atrasado”.

Andamos mais uma estação e novamente o aviso: “”Não segurem as portas. Isso atrasa todos os trens”. Tão automático quanto o aviso, veio novamente a resposta do senhor: “O trem só anda atrasado”.

Isso se repetiu até que eu chegasse na Barra Funda.

A principio fiquei pensando naquilo e rindo, porque acabou se tornando uma situação engraçada, mas depois de um tempo vi que aquilo talvez se encaixasse em outras situações da nossa vida.

Imaginei a situação daquele mesmo homem que já não era um menino e possivelmente voltava de um dia inteiro de trabalho duro.

Quantas vezes ele havia pedido para não segurarem as portas do seu trem e ignorado passou a acreditar que o trem realmente só anda atrasado?

Quantas vezes você, meu caro leitor teve que aceitar ou se conformar que o trem está sempre atrasado?

Voltando para a situação real, fiquei observado o comportamento das pessoas nos dias seguintes ao que acabei de relatar para tentar descobrir porque os usuários insistem em segurar as portas do trem.

Confesso que não cheguei a nenhuma conclusão mirabolante, mas uma coisa eu pude perceber. As pessoas seguram as portas para não ter que esperar o próximo trem e se esquecem que milhares de outras pessoas estão lá dentro da composição também loucas para chegar em casa, abraçar a esposa, o marido e os filhos.

Trazendo isso para situações da nossa vida, quantas vezes nos deparamos com algo similar?

Você faz sua parte, cumpre sua obrigação e por conta das atitudes de outros acaba sendo penalizado.

Quantas horas extras você já fez porque outra pessoa deixou de fazer sua obrigação?

Quantas broncas você levou dos seus pais porque seu irmão aprontou alguma e não assumiu a culpa?

Quantas vezes você brigou com sua namorada porque alguem criou uma situação para que isso acontecesse?

Enfim, segurar as portas do trem pode ser legal e até engraçado para você que não quer esperar mais 10 minutos pela próxima composição, mas atrapalha milhares ou até milhões de pessoas que nada tem a ver com o seu atraso ou as suas necessidades.

Para finalizar, lembro do que ouvi em uma palestra do astronauta Marcos Pontes.

Quando perguntado sobre a sensação de ver a Terra do espaço ele disse que de lá percebeu como nós seres humanos somos pequenos quando comparados com o universo. Uma simples pessoa em meio a uma imensidão de estrelas, planetas e muitas outras coisas que ainda estão muito longe do nosso conhecimento, e mesmo assim insistimos em segurar a porta do trem.

 

 

Seu Jorge

28/09/2009
Show Seu Jorge

Show Seu Jorge

 

Vocês acharam que nós tinhamos desistido do blog?

Se enganaram.

Foi apenas uma pequena ausência devido à falta de tempo e outros pequenos problemas.

Para marcar a ressurreição deste blog, escrevo sobre algo que a algum tempo seria improvável que fosse de minha autoria.

Conforme já comentei aqui antes, passei a valorizar mais a oportunidade de conhecer e experimentar coisas novas, e seguindo esta linha resolvi aceitar uma proposta feita pela Andréa a mais ou menos duas semanas.

Estava no trabalho quando recebo uma mensagem me convidando para um show do Seu Jorge. Já tinha ouvido algumas músicas dele, mas talvez não o suficiente para ir a um show, mas como o preço era razoável e ele não toca nada que vá contra os meus princípios resolvi topar.

Valeu a pena!!

O Show fazia parte da turnê do disco América Brasil, que para quem gosta de uma boa música brasileira, eu recomendo.

O Seu Jorge é um baita artista. Ótimo cantor, sabe se comunicar com a platéia sem fazer média, mas demonstrando muita atenção e respeito com aqueles que pagaram para vê-lo.

A banda que o acompanha (Conjuntão Pesadão), recheada de metais, percussão e outros instrumentos como gaita, guitarra e baixo, é um capítulo a parte. Os caras esbanjam técnica e animação colaborando muito para o bom andamento do show e a animação da platéia.

A notícia ruim, é que as datas para São Paulo eram somente neste final de semana, mas para que vocês não fiquem tristes, deixo aqui um vídeo que tirei do blog do Seu Jorge com um trecho do show.

O lado bom da crise.

31/08/2009

dinheiro2

Assunto muito comum nos últimos meses a crise tem sido motivo para muito falatório por todos os cantos do país.

Uns acham que ela não existe, outros acham que o Brasil não dura nem mais um ano.

Acima disso tudo eu tenho um grande agradecimento a fazer à essa tal de crise.

Explico.

Com o país em crise, somos forçados a gastar menos, afinal é feio gastar muito em época de crise. Com isso consegui controlar melhor meu cartão de crédito.

Com esse bicho feio solto por aí, precisei ficar mais em casa e deixar de comer fora. É meio chato ver tanta gente passando necessidade perante a crise e eu comendo fora.

Saindo menos de casa e segurando o cartão de crédito, claro que passei a comer menos e fiz até o meu VC (Vale-Coxinha) de R$10.00 render mais. Meus almoços passaram a se basear em muita salada e pouco carboidratos, me fazendo emagrecer. Já foram mais ou menos 6 ou 7 quilos em aproximadamente 3 meses.

Na empresa não temos mais café gratis. Quer café? Pague R$0.75. Com isso, passei a conversar menos e trabalhar mais, o que em teoria faz meu trabalho render.

Novamente devido à crise, a empresa cortou o aumento por mérito e deixou somente o dissídio que até o momento não saiu. Com isso, diminuiu meu poder de compra. Decidi aplicar essa redução no combustível do carro, pois dessa maneira, colaboro com o meio ambiente.

Em resumo, a crise me ajudou a gastar menos, perder peso, trabalhar mais, dar mais valor para a comida caseira e até colaborar com o meio ambiente.

Faça você tamnbém sua homenagem a nossa amiga crise, afinal o que seria de nós sem ela??

Congratulazioni Palestra

26/08/2009

1916

Antes de mais nada quero deixar claro que não sou fanático por futebol. Um dia já fui.

Assistia campeonato alemão, italiano, inglês, japonês e o que mais estivesse passando na TV. Até o velho Desafio ao Galo eu assistia.

Por outro lado, quero deixar claro uma outra coisa. Eu sou fanático pelo Palmeiras, ou como gosto de dizer, o Palestra.

Não sou esse fanático comum. Esse que briga com os amigos, que sai na porrada pelo seu time. Não. Definitivamente eu não sou esse tipo de fanático.

1942

Meu fanatismo é diferente. Aliás desculpem-me os leitores desse post, mas ser palmeirense é diferente.

Sei que cada torcedor também pensa isso de seus times, mas lamento informar que ser palestrino é realmente diferente.

Ser palestrino é saber que seu time foi formado como se formou por exemplo a cidade de São Paulo. Por imigrantes vindos de toda parte da Itália começar uma vida nova em nosso país. (Apesar de não ter um sobrenome italiano, tenho muitas características desse povo. Sou barulhento, tenho coração mole e amo minha familia :-D).

Ser palestrino é ter sangue quente. É defender suas origens com unhas e dentes mas depois de todo aquele alvoroço fazer festa com os amigos.

Ser palestrino é ter orgulho de vestir a camisa esmeraldina e sair na rua como se fosse a celebridade do momento.

Ser palestrino é simplesmente ser palestrino. É ter honra. É se orgulhar de ser diferente. É achar defeito em tudo, mesmo no que gosta.

19141

Ser palestrino é ficar emburrado porque o Palmeiras ganhou mas jogou mal.

Ser palestrino é xingar um jogador na quarta-feira e depois endeusá-lo no domingo por ter feito três gols em nosso principal rival.

Ser palestrino é odiar o adversário durante o jogo e mesmo durante o jogo saber que ele é só um adversário.

Ser palestrino é sensacional!!! Eu recomendo!!

Gosto de uma frase dita por Milton Neves para definir o futebol: “O futebol é a coisa mais importante dentre as menos importantes”. Concordo com ele, mas como falei no começo, não sou fanático por futebol, sou fanático pelo PALMEIRAS.

1959

Hoje, 26 de agosto de 2009 o meu Palestra, a Sociedade Esportiva Palmeiras fundada em 1914 completa 95 anos de existência, e com essas palavras escritas meio que sem pensar mas muito sinceras, faço a minha homenagem a esse time cheio de história e tradição. Time de Ademir da Guia, Dudu, Marcos, Evair, Edmundo, Luís Pereira, Emerson Leão e principalmente da “Torcida que canta e vibra”.

Simplício Simplório da Simplicidade SIMPLES

21/08/2009

simples

Tenho reparado ultimamente como as pessoas têm mania de complicar as coisas. É complicação para comprar, vender, comer, beber, estudar, se locomover, trabalhar, enfim, tudo é muito complicado e cheio de burocracias.

Pensando nisso comecei a procurar qualquer iniciativa que vá à contramão disso tudo e o que me surpreendeu é que tenho encontrado.

Certo dia, passeando no Shopping Anália Franco, percebi que havia algo diferente na parede próxima ao bebedouro, e ao me aproximar vi que era um pequeno aparelho com um gel para higienizar as mãos, o que achei sensacional. Em tempos de gripe suína, alguém pensou em uma solução SIMPLES para você poder beber sua água sem precisar correr riscos. Viram como é SIMPLES?

Recentemente fomos ao cinema no Pátio Paulista assistir o excelente GI JOE (excelente do ponto de vista FILME DE AÇÃO) e me deparei com um novo Cinemark que já foi logo me surpreendendo.

Disponibilizaram terminais onde você pode comprar seu ingresso e escolher seus lugares, o que fatalmente acaba com o que? Sim. Com as filas. Se você já escolheu seu lugar na compra do ingresso, não precisa pegar fila e entrar correndo com suas pipocas caindo pelo caminho, disputando lugar com aqueles fanfarrões barulhentos para conseguir seu lugar favorito. O mesmo serviço também é disponibilizado nos caixas convencionais.

Outro aparato que já vi e que achei muito interessante foi o Toten de recarga do bilhete único onde você usa seu cartão de débito para fazer a carga no seu cartão de busão.

Prático, rápido e SIMPLES.

Uma particularidade que notei nessas coisas (exceto no aparelho de gel) é o uso da tecnologia para facilitar a nossa vida.

Durante muito tempo, apesar de ser um profissional da área da Tecnologia da Informação, fui um critico do seu mau uso, mas me parece que esse quadro está mudando.

Vejo empresas usando o SIMPLESTwitter” para divulgar seus produtos.

Vejo pessoas usando os SIMPLES blogs para trocar idéias e colaborar uma com as outras.

Vejo motoristas usando o SIMPLESSem parar” para ganhar tempo em suas viagens, além de muitos outros exemplos.

Para finalizar, deixo uma pergunta.

O que você poderia compartilhar conosco sobre coisas SIMPLES que facilitam nosso dia a dia e o que você tem feito para fazer a sua vida algo mais SIMPLES?

Azar?

16/08/2009
Gato Preto

Gato Preto

Não sou do tipo que acredita em azar ou  destino, e sempre acho que colhemos os fruto daquilo que plantamos, mas ultimamente tem acontecido algo comigo, ou melhor com meu carro que está me deixando encafifado.

Somente este ano, bateram quatro vezes na traseira do meu Corsa. Isso mesmo QUATRO vezes.

Você aí lendo, no conforto do seu lar deve pensar. Você é um barbeiro, fecha os demais motoristas, toma as porradas e agora fica aí choramingando.

Juro que o problema não é esse e para confirmar isso ,vou resumir cada um dos “incidentes”.

1.o –  transito lento na radial. 1.a e 2.a marcha. Velocidade máxima de 30km/h. Em um desses “anda-pára” um distraído bate na traseira do Corsa. O estrago foi apenas um simples arranhão e resolvi deixar pra lá;

2.o – novamente parado na radial, percebi que em uma S-10 atrás de mim dois sujeitos conversavam sem prestar muita atenção no trânsito. Após algumas sequencias de “anda-pára” recebo mais uma pancada. O estrago foi pouco mas precisaria pintar o pára-choques. O sujeito queria que eu levasse meu carro para o funileiro dele em Itaquera. Eu, besta, mais uma vez deixei pra lá;

3.o – indo comer pizza na casa da minha irmã, resolvi fazer um caminho diferente do que costumo. Neste novo caminho parado em um semáforo percebo um carro dar farol e buzinar muito. Foi só o tempo de olhar no retrovisor e ouvir o barulho da pancada. Relatos dão conta que o sujeito fugia de um assalto e como era um C4 Pallas, mal consegui acompanhá-lo para anotar a placa (tenho um Corsa 1.0) e desta vez o estrago foi um pouco pior. Como ele fugiu, fiquei com o prejú;

4.o – este, aconteceu ontem. Voltando de um churrasco na casa de uma amiga da Andréa, quase chegando em casa, desta vez fazendo um caminho mais que convencional dou seta para entrar à esquerda e vejo um vulto tentando me cortar na contramão. Tive tempo apenas de evitar o pior, mas advinham o que aconteceu?????? Porrada na traseira do Corsa.

Apesar dos pesares, o último caso foi o mais engraçado. O homem que guiava o vulto parou e veio sorridente tentando jogar a culpa em mim, o que reverti em menos de 20 segundos. Sempre ando muito atento e dentro da lei então guardo na cabeça as  últimas manobras que faço para usar como argumento em casos como esse. Usando teorias de ocupação de espaço, física e outras mais, expliquei para o rapaz chamado Irineu que não havia como eu estar errado. Como disse, isso foi em torno de 20 segundos. Aqui começa a parte “engraçada”.

Após ser rapidamente convencido, Irineu analisa o estrago no pára-choques e diz:

“Tá vendo, não fez quase nada. Desculpa aí. Não leva a mal…” e ameaça voltar para seu vulto ambulante.

Eu respondo:

“Esta desculpado. Não levarei para o lado pessoal, mas o meu prejuízo eu vou cobrar de você”.

Neste momento começa a lamentação do Irineu:

“Poxa, estou duro, com problemas de pensão, com pressa, o carro não é meu, não tenho onde cair morto, estou sem documentos…”

E eu:

“Mais um motivo para andar com mais cuidado”.

Irineu:

“Esse carro nem é meu…”

Eu:

“Bom, então avise ao seu propritário que farei o B.O. e quero meu prejuízo pago”.

Hoje vou à delegacia fazer o B.O., mas o que mais me intriga é o fato de terem sido quatro batidas na traseira.

Será que estou precisando de algum empurrãozinho para fazer alguma coisa?

Será que meu carro está tão lindo que todos querem andar pertinho dele para poder observar melhor??

Ou será que devo começar a acreditar mais em azar e vender logo este carro???

 

Aceito sugestões